Governo vistoria obras da ponte sobre o Rio Paraguai para fortalecer a Rota Bioceânica

Bruno Chaves, Comunicação Seilog/Agesul


As obras da ponte sobre o rio Paraguai, que irá conectar as cidades de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul, e Carmelo Peralta, no Alto Paraguay, estão avançando a passos firmes. A estrutura faz parte da Rota Bioceânica, que busca estreitar as relações comerciais entre o Atlântico e o Pacífico, impulsionando o desenvolvimento econômico e a integração regional. Com um cronograma bem definido, a construção da ponte está com 20% de execução e deve ser finalizada em dois anos, afirma engenheiro Paulo Leitão, do Consórcio Binacional PYBRA, responsável pelas obras.

Nesta sexta-feira (19), o secretário Hélio Peluffo, da Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística), visitou o canteiro de obras do lado brasileiro para fortalecer a Rota, estreitando os laços do governo sul-mato-grossense com o consórcio formado por duas empresas paraguaias e uma brasileira. O convite partiu do prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra, e do deputado estadual Paulo Corrêa.

“Como diz o governador Eduardo Riedel: ‘visite as obras para que você resolva in loco os problemas’. Aqui colhemos reivindicações e há algumas necessidades de intervenção do Estado, como melhorar o acesso provisório, para que os insumos brasileiros cheguem até a obra, e também levar uma rede de energia trifásica até o canteiro, pois eles estão girando concreto com geradores de energia”, explicou o secretário Peluffo. Segundo ele, o governo estadual fará a gestão das demandas para contribuir com a obra.

Engenheiros e demais trabalhadores estão unindo esforços para tornar a ponte uma realidade. Ao todo, 480 operários atuam nos dois pontos da obra, que tem a fundação concluída do lado paraguaio, onde estão em construção 13 pilares. Em terras brasileiras, a fundação está com 70% de conclusão e a equipe já instala os blocos de 15 pilares. A ponte está sendo construída com tecnologia de ponta, seguindo rigorosos padrões de segurança e durabilidade. “São fundações de 48 metros de profundidade, com equipamentos da Itália e da Espanha. O projeto é italiano e profissionais de várias nacionalidades estão unidos, com apoio político e técnico, em um trabalho de equipe”, destacou o engenheiro Paulo.

Durante a visita ao canteiro, o deputado Paulo Corrêa frisou que a Rota Bioceânica é uma das prioridades do Governo do Estado. Já o prefeito Nelson Cintra pontuou que a administração estadual não mede esforços para que o projeto seja concluído.

A Rota

O traçado total do corredor rodoviário bioceânico tem 2.254 quilômetros e percorrerá os países envolvidos: Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, diminuindo em até duas semanas o tempo de viagem das exportações do Centro-Oeste do Brasil até a China e Japão.

As fronteiras passarão de atuais entraves para pontes, construindo uma nova realidade econômica e social entre os países. Além de estabelecer o comércio de importação e exportação, há ainda a oportunidade de explorar o turismo destas regiões. Para isso, a ponte internacional com extensão de 1.300 metros no modelo estaiada é peça fundamental. Obra é tocada com 93 milhões de dólares – recursos investidos pela Itaipu Binacional Paraguai.

Mais obras de infraestrutura

Além da construção da ponte e do acesso à estrutura, que será feito pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Porto Murtinho recebe importantes investimentos em infraestrutura urbana e rural através do Governo do Estado, por meio da Seilog e da Agesul (Agência Estadual de Gestão da Empreendimentos).

Estão em execução na cidade as obras de: pavimentação, drenagem e duplicação do acesso à BR-267; reforma e ampliação da cerca operacional do aeroporto municipal, com construção da guarita de vigilância; e revitalização e drenagem na Rua 13 de Junho. As ações somam cerca de R$ 15 milhões.

Outra importante obra em andamento é o recapeamento de diversas ruas, que somam 23 quadras, em vários bairros. A comitiva do Governo do Estado também vistoriou essas ações, que recebem R$ 6 milhões.

Os diretores da Agesul, Dalvim Júnior e Francisco Cassundé, e vereadores de Porto Murtinho também acompanharam as agendas de vistoria a obras na cidade.

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!