Imasul suspende autorização e emissão de novas licenças para queima controlada no Estado

João Prestes, Comunicação Semadesc


O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), órgão ambiental do Estado vinculado à Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), publicou a Portaria número 1.281 no Diário Oficial dessa segunda-feira (17) tornando sem efeito as autorizações emitidas e ainda não executadas para queima controlada e também suspende a tramitação de processos de licenciamento e a emissão de novas autorizações do gênero até o fim do ano. A medida está embasada em nota técnica emitida pelo Cemtec/MS (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), que analisou as tendências meteorológicas e focos de calor para o trimestre julho, agosto e setembro, indicando a necessidade de suspensão das atividades com uso do fogo para prevenir eventuais incêndios florestais.

O secretário da Semadesc, Jaime Verruck, explicou que a decisão foi tomada na semana passada após a conclusão do estudo dos técnicos do Cemtec/MS. “A partir de hoje (17) essas autorizações estão suspensas e o motivo é muito técnico. Portanto, quando o sistema identificar um foco de calor será de queima não controlada”, advertiu.

O secretário ponderou que o Governo do Estado, através da Semadesc, do Imasul e do Comitê do Fogo, tem feito um esforço muito grande no sentido de prevenir a ocorrência de incêndios florestais. “Estamos estruturados para combater, mas todo nosso foco está na prevenção”. Ele citou as campanhas realizadas há pouco de conscientização do próprio Governo e em parceria com a Reflore e o trabalho conjunto com o Ibama, em nível nacional, para prevenir incêndios no Pantanal. “Nesse ano o PrevFogo destacou uma equipe de brigadistas em Corumbá para reforçar esse trabalho. Os bombeiros têm usado sistemas de inteligência para monitorar os focos de calor, o que dá agilidade na mobilização e tomada de decisões”, destacou.

A portaria preserva apenas as autorizações para treinamento do MIF (Manejo Integrado do Fogo), instrumento considerado importante para prevenção e que está sendo usado de forma pioneira em Mato Grosso do Sul, único Estado com legislação própria a respeito. O MIF foi utilizado pela primeira vez pelo Ibama em terras indígenas e se mostrou eficaz para o que se propõe, ou seja, usar o fogo como aliado e sob controle, tomando as medidas necessárias para permitir a fuga dos animais da área a ser queimada.

Verruck adiantou que também já está programada a edição de um decreto de emergência ambiental em relação às queimadas. No entanto, o secretário lembra que o combate aos incêndios florestais é dever de todos, não podendo ser responsabilidade apenas do Governo. “Os proprietários rurais devem manter os aceiros nas propriedades para evitar a propagação do fogo e agir prontamente quando surgir qualquer foco de calor para que não escape do controle".

Cobertura do Jornal da Nova

Quer ficar por dentro das principais notícias de Nova Andradina, região do Brasil e do mundo? Siga o Jornal da Nova nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!