• Paraíso17

Homem acusado de matar vítima e jogar corpo no rio Laranjal vai a Júri

Julgamento está marcado para a próxima quinta-feira (17), às 8h30
Da Redação / Imagens: Arquivo/Polícia Civil
15/09/2020 19h00

Será realizado na próxima quinta-feira (17), às 8h30, no Tribunal do Júri de Nova Andradina, o julgamento de Jean de Souza Silva, de 24 anos, pronunciado no crime de homicídio ocorrido no dia 14 de dezembro do ano passado, no bairro Laranjal, zona rural da cidade.

 

Leia também

|SIG de Nova Andradina prende acusado de matar homem e jogar corpo no córrego

|Bombeiros localizam corpo no Córrego São Benedito

|Corpo de Bombeiros segue para o Córrego Laranjal em busca de corpo

 

Jean é acusado de matar a golpes de faca Reginaldo Ferreira Penteado, de 49 anos, natural de Teodoro Sampaio (SP).

 

Em razão das contingências geradas pela pandemia da covid-19, o julgamento será por videoconferência, mas os jurados comparecerão ao Tribunal do Júri, assim como a defesa do acusado, promotoria e a presidente do Tribunal.

 

Crime

Conforme consta nos autos, no dia 14 de dezembro de 2019, por volta das 17h, nas proximidades de um sítio, nas margens do rio Laranjal, zona rural de Nova Andradina, o denunciado Jean de Souza Silva, agindo com inequívoco ânimo homicida, mediante a meio cruel, desferiu golpes de faca contra Reginaldo Ferreira Penteado, de 49 anos, em seguida, arremessou seu corpo no rio, situação suficiente para causa a morte.

 

À época dos fatos, ambos trabalhavam numa carvoaria nas proximidades de onde ocorreu o delito. No dia do crime, ambos foram até as margens do rio Laranjal onde Jean, armado com uma faca, matou a vítima.

Corpo estava a 60 metros da ponte - Foto: Arquivo/Corpo de Bombeiros/Divulgação

Ocorre que, ao ouvir os gritos de Reginaldo, uma testemunha correu para a estrada e viu o crime. Ao notar a presença da testemunha, o denunciado arremessou a vítima no rio e proferiu ameaças contra o rapaz que viu.

 

No dia seguinte, o encarregado indagou a ausência da vítima no trabalho, ocasião em que a testemunha relatou o ocorrido e ambos, foram comunicar os fatos na Delegacia de Polícia Civil.

 

O Corpo de Bombeiros realizou buscas no rio e encontrou o corpo da vítima boiando, onde equipes da Polícia Civil e Perícia Criminal compareceram no local.



Comunicar erro




VEJA MAIS