De 10 depoimentos, delegado disse que já tem alguns suspeitos de participarem do assassinato de Fernanda Ribeiro

Filipe Davanso Mendonça está presidindo as investigações em Batayporã
Luis Gustavo, Da Redação / Imagens: Reprodução/Jornal da Nova
01/05/2021 07h06
O delegado titular da Delegacia de Polícia Civil em Batayporã Filipe Davanso Mendonça / Imagens: Reprodução/Jornal da Nova

No final da tarde desta sexta-feira (30), o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil em Batayporã Filipe Davanso Mendonça, que preside as investigações do assassinato de Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, de 36 anos, disse ao vivo no Instagram do Jornal da Nova, que após colher 10 depoimentos, já têm alguns suspeitos de participação no crime.

 

Leia também

| Advogado presta depoimento na Delegacia em Batayporã

|Delegado de Batayporã está ouvindo várias testemunhas sobre a morte de Fernanda Ribeiro

|Corpo encontrado degolado em Batayporã é de moradora em Nova Andradina

|Corpo de mulher degolada é encontrado no cascalho que liga Nova Andradina a Batayporã

 

O delegado disse que desde o início das investigações, a polícia tem de forma incansável, tanto buscar a identificação da vítima quanto a autoria do crime. 

 

Ao que se apurou até o momento, a vítima teria sido executada na localidade e depois seu corpo foi arrastado para dentro do milharal, na tentativa de dificultar a investigação. Ela não portava documentos pessoais.

 

Testemunhas que tiveram contato antes e depois da morte de Fernanda estão sendo ouvidas. “Até o momento foram ouvidas dez pessoas, e dentro dessas oitivas há alguns suspeitos”, frisou o Davanso.

 

“Quanto a motivação do crime, a Polícia Civil não traça ainda uma linha definida, contudo, já tem um direcionamento de qual será a forma e a razão pela qual a teriam matado, detalhes não podem ser divulgados ainda para não atrapalhar a apuração do crime, mas temos uma linha bem avançada da apuração do fato”, destacou o delegado.

 

É mais de um suspeito que está sendo investigado na participação do homicídio. O objeto utilizado para degolar a vítima não foi encontrado. Um notebook da vítima que contém vários prints de conversas com várias pessoas podem ajudar na apuração dos fatos.

 

O celular da vítima não foi encontrado, mas quem fez contato com ela nos últimos dias, pode estar envolvido no crime e o aparelho está sendo rastreado.  

 

A investigação está sendo na Delegacia de Polícia Civil em Batayporã, com apoio da SIG (Seção de Investigações Gerais) da Delegacia de Nova Andradina e Perícia Criminal em Nova Andradina.

 

Fernanda foi morta com uma facada no pescoço e, em seguida arrastada por seis metros para o meio de um milharal na margem da estrada cascalhada MS-276, trecho entre Nova Andradina e Batayporã.

 

Velório

O ato fúnebre será neste sábado (1º), das 7h às 10h no Velório Municipal de Nova Andradina.



Comunicar erro




VEJA MAIS