Advogado suspeito de assassinar Fernanda Ribeiro passa mal e é internado na Cassems em Nova Andradina

Delegado disse que o Alexandre Pessoa é o principal suspeito do crime
Da Redação / Imagens: Jornal da Nova
02/05/2021 19h00
Advogado está internado sob escolta policial militar / Imagens: Jornal da Nova

Poucas horas depois de ser preso temporariamente por 30 dias, o advogado Alexandre França Pessoa, de 42 anos, passou mal e foi levado ao Hospital Cassems por uma equipe do Samu 192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), neste domingo (2), sob escolta da Polícia Militar. Ele teve uma crise de hipertensão, foi medicado e aguarda exames para saber se volta para a Delegacia de Polícia ou dependendo do resultado, pode ser transferido para uma unidade hospitalar com mais recursos.

 

Leia também

|Polícia Civil prende advogado suspeito de participação no assassinato de Fernanda Ribeiro

|Polícia Civil faz buscas na residência de advogado em Nova Andradina

|De 10 depoimentos, delegado disse que já tem alguns suspeitos de participarem do assassinato de Fernanda Ribeiro

|Advogado presta depoimento na Delegacia em Batayporã

|Delegado de Batayporã está ouvindo várias testemunhas sobre a morte de Fernanda Ribeiro

|Corpo encontrado degolado em Batayporã é de moradora em Nova Andradina

|Corpo de mulher degolada é encontrado no cascalho que liga Nova Andradina a Batayporã 

 

Alexandre é o principal suspeito do assassinato de Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, de 36 anos, morta de forma cruel no cascalho da MS-276, trecho que liga Nova Andradina a Batayporã, na noite da última quarta-feira (28).

 

Antes de realizar o depoimento na sexta-feira (30), em Batayporã, Alexandre confirmou à reportagem que tinha relacionamento com a vítima desde setembro de 2019.

 

Coletiva à imprensa

O delegado Filipe Davanso Mendonça da Delegacia de Polícia Civil em Batayporã - Foto: Jornal da Nova

Em entrevista no final da tarde deste domingo (2), o delegado Filipe Davanso Mendonça da Delegacia de Polícia Civil em Batayporã que preside as investigações, disse que o crime foi passional e dentre as 15 oitivas que realizou desde o dia em que a vítima foi encontrada, há mais suspeitos com ligação com o crime e outras são testemunhas.

 

Davanso disse que não poderia dar mais detalhes dos teores dos depoimentos para não atrapalhar as investigações. Disse ainda que o celular do investigado e o notebook da vítima, tem muitos elementos que estão contribuindo para as investigações.

 

Ainda durante a entrevista, o delegado disse que o aparelho celular da vítima não foi encontrado e que um dos dedos foi cortado, provavelmente para ter acesso ao celular de Fernanda.

 

Sem dar mais detalhes do caso e sem motivação do crime, o delegado disse que as investigações não cessaram e que novas diligências vão sendo realizadas nos próximos dias e aguarda laudos periciais.

 

Toda a investigação está a cargo da Delegacia de Batayporã, com apoio da SIG (Seção de Investigações Gerais) da Delegacia de Nova Andradina e Perícia Criminal e Papiloscópica.

 Alexandre França Pessoa foi preso em casa na manhã deste domingo (2) – Foto: Jornal da Nova

Defesa

O advogado Júlio César Evangelista Fernandes, disse ao Jornal da Nova que a prisão de Alexandre Pessoa foi midiática e desnecessária. “O Pessoa tem residência fixa, não estava atrapalhando as investigações e nem coagindo testemunhas do caso. Todas as vezes que foi chamado na Delegacia ele compareceu espontaneamente e na busca e apreensão não hesitou em nada, tudo ocorreu tranquilamente”, disse Júlio Cesar.

 

Ele ainda disse que não teve acesso aos autos do Inquérito Policial e aguarda cópia para impetrar com habeas corpus junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.   



Comunicar erro




VEJA MAIS