STJ nega habeas corpus a Alexandre Pessoa e ele continua preso temporariamente

Ele está internado no Hospital Cassems e deve ser transferido para Capital
Da Redação / Imagens: Jornal da Nova
06/05/2021 18h51
Momento da sua prisão no último domingo (2), ele estava com uma sacola com remédios / Imagens: Jornal da Nova

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) negou há pouco o habeas corpus do advogado Alexandre França Pessoa, de 42 anos, suspeito de assassinar Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, de 36 anos, de 32 anos, no último dia 28, em Batayporã. Ele vai continuar preso temporariamente.

 

Leia também

|Delegado indicia Alexandre Pessoa no crime de feminicídio

|Advogado passa mal em Delegacia e volta para unidade de saúde em Nova Andradina

|Advogado suspeito de assassinato tem alta em Dourados e retorna para Delegacia em Nova Andradina

|Advogado que passou a noite internado na Cassems é transferido para Dourados

|Advogado passa a noite internado na Cassems e aguarda vaga para transferência

|Advogado suspeito de assassinar Fernanda Ribeiro passa mal e é internado na Cassems em Nova Andradina

|Polícia Civil prende advogado suspeito de participação no assassinato de Fernanda Ribeiro

|Polícia Civil faz buscas na residência de advogado em Nova Andradina

|De 10 depoimentos, delegado disse que já tem alguns suspeitos de participarem do assassinato de Fernanda Ribeiro

|Advogado presta depoimento na Delegacia em Batayporã

|Delegado de Batayporã está ouvindo várias testemunhas sobre a morte de Fernanda Ribeiro

|Corpo encontrado degolado em Batayporã é de moradora em Nova Andradina

|Corpo de mulher degolada é encontrado no cascalho que liga Nova Andradina a Batayporã 

 

O pedido da liminar foi impetrado nesta quarta-feira (5), pelo advogado de defesa Júlio César Evangelista. Na segunda-feira (3), o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) já havia negado o habeas corpus.

 

Alexandre teve prisão temporária de 30 dias, expedida pelo Poder Judiciário de Batayporã, a pedido do delegado titular da Delegacia de Polícia Civil em Batayporã, Felipe Davanso Mendonça, que preside as investigações.

 

O suspeito está internado no Hospital Cassems em Nova Andradina, após passar mal durante o indiciamento na Delegacia de Polícia Civil. Ele foi atendido pela equipe do Samu 192 e está sob escolta da Polícia Militar.

 

Caso receba alta nesta sexta-feira (7), ele deverá ser recambiado para o presídio militar em Campo Grande.



Comunicar erro




VEJA MAIS